6 de novembro de 2014

PENSAMENTOS ÚBERES


Estava uma esplêndida, taciturna e hilária noite
A lua banhaste teu pulcro corpo albino desnudo
Rosto de garota inocente e sorriso tímido brilhaste
Olhos que já derramaste várias lágrimas por ternura
Cabelos castanhos que encostas no traseiro exato
Teus peitos medianos me fascinaste desde o principio
Desculpas pelo meu arrojo consciencioso que expresso
Sangue de tua sangria escorre pelas pernas enfastiadas
Tu eras uma garotinha e agora é uma imaculada mulher
Senhorita estou muito louco novamente te solicito perdão
Um ósculo gélido recebe nos rubros lábios auspiciosos
Seu tamatiá esta pedindo um toque de seu pulcro dedo
Uma afeição íntima sempre é prazerosa para esses pedidos
Tu sentas e começa a dedilhar sua pequena afetuosamente
Não quero que essa noite acabe tão cedo para poder te ver
Álvares de Azevedo me ilumina para escrever palavras belas
Que possam expressar esse momento insensato dessa personagem
Amargura da criatividade escassa me faz ficar triste

Arthur Claro

Essa poesia foi criada homenageando um pouco um dos poetas que eu gosto, que é o Álvares de Azevedo, usei um pouco de palavras rebuscadas para mostrar um pouco de conhecimento.

3 comentários:

  1. Álvares de Azevedo tb é um dos meus favoritos, não só no Romantismo, mas em toda a literatura nacional.

    ResponderExcluir
  2. Por mais que eu seja aluna de letras, tenho certo desconforto em ler alguns dos escritores brasileiros tão renomados quanto esses. Não sei se porque sou acostumada com escritas simples... mas eu adorei a poesia, você escreve MUITO bem! Parabéns
    Abraços
    http://rabiscosecenas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Linda poesia! Profunda e densa...
    Parabéns Arthur Claro pela bela poesia, e post!
    Abçs

    ResponderExcluir