9 de outubro de 2014

AMANTE REBELDE TRISTE HUMILDE ÚBERE RARO


As estrelas brilham no céu límpido dessa admirável noite
Muitas noites se passaram mais nenhuma é igual a essa
A graciosa lua iluminava o leito de grama que você repousa
Nítidos são os desenhos que as estrelas desenham no céu
Teus olhos castanhos flertam amorosamente as estrelas
Estas criações divinas são de admirar sem enfastiar

Repousado sonhando acordado com a sua amante
Estrelas brilhem para iluminar esse amante apaixonado
Bebida doce para se aquecer desse frio noturno
Em pensamentos longínquos faz uma lágrima escorre a tua face
Lágrimas tristes das lembranças de um passado tenebroso
Doença mordaz está acabando com esse jovem poeta
Em poucos minutos ele descansa em paz nesse leito macio da grama

Teus olhos castanhos que flertavam a sua amante com amor
Resolvia alguns problemas dos seus amigos com compreensão
Inventava novas situações para a felicidade de todos
Se transformava em coisa qualquer para ajudar o próximo
Tão grande era seu coração que abrigava todos que ao seu redor vivia
Emocionados estão seus amigos agora por causa da sua partida

Havia um sonho que ele não conseguiu concluir e permanecerá sem acontecer
Uma palavra amiga todos gostavam de ouvir da sua singela boca
Melhores brincadeiras para alegrar os amigos tristes
Invisível para a família ele parecia ser e só ouvia broncas
Louco é que todos diziam para ele quando começava a brincar
Desapontamentos na sua vida era pouco agora que ele se foi
Ele adorava seu mundo interior e odiava um país idiota

Últimas palavras antes de partir foram “Saio dessa vida com amor”
Bucólico e solitário se foi sem que ninguém ouvisse essas palavras
Estranho que não havia evidencias do que ele morreu
Ridículo é pensar que poderia ser que ele se suicidou sem marcas
Especular um assassinato sem evidencias de tiro também é errado

Raios do Sol vinham aparecendo quando sua amada apareceu
A menina olhou o corpo e se colocou a chorar com muita tristeza
Raras eram as lágrimas que caíram no corpo que começou a corar

O jovem poeta tinha apenas morrido de saudades da sua amada

Arthur Claro

Essa poesia foi criada utilizando as iniciais do meu nome e combinando algumas das minhas características e também alguns elementos que gosto. Não foi para me exaltar e sim para refletir o que às vezes eu vejo.

4 comentários:

  1. Lindo poema ,amigo poeta!
    os olhos castanhos são profundos e transmitem muita sensualidade!
    Saudade arde mo peito!
    bjus
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
  2. Vim comentar algo, e cheguei aqui na caixinha de comentários sem saber o que dizer.

    ResponderExcluir
  3. Lindo poema, e ainda que o jovem continuava vivo para viver esse amor, e quantos outros a vida lhe traga!!!
    Abçs

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir