6 de dezembro de 2018

POESIA DE TERROR


Estúpido é aquele rapaz
Que guerreou pela Paz
Entrando no fronte da morte
A arma dele jorrando sangue
Ele é mais um parvo na gangue
Da Guerra saiu vivo por sorte

Pois balas douradas furaram suas pernas
Essas horríveis visões na mente serão eternas
Esse rapaz serviu à pátria de imbecis
Fez inimizades com desconhecidos
Viu no chão os irmãos de Guerra feridos
Enquanto megalomaníacos bombardeiam civis

Desde criança à velhos são assassinados
Poucos fugiram de serem baleados
Será que existe vencido e vencedor?
Pois batalhões inteiros foram minguando
Será que a Guerra está acabando?
Eu poeta encerro essa poesia de terror


Arthur Claro

Essa poesia foi criada a partir da vontade de falar sobre a Guerra, não é sobre nenhuma específica, mas também não é sobre nenhum soldado conhecido meu ou do mundo, a música que ilustra essa poesia é a Soldados da banda Legião Urbana.

3 comentários:

  1. Adorei a postagem! Parabéns!!

    Beijos e um excelente dia!

    ResponderExcluir
  2. Gostei de ler
    Espectacular poema
    Abraço

    Kique

    Hoje em Caminhos Percorridos - Esposas implicativas...

    ResponderExcluir
  3. O poema tem tanto de violento quanto de espectacular.
    Aquele abraço, bfds

    ResponderExcluir