23 de junho de 2016

A LEI


A lei lá na floresta é cruel
Olho por olho e dente por dente
O leão mata para sobreviver
E ele sobrevive para matar
A cada dia um novo duelo surge
Caça e caçador sempre mudando de posição

A lei lá na cidade é diferente
Poucos são presos por seus crimes
Outros crimes nem são julgados
Os homens de farda tentam proibir
Só proíbem quando interessa prestar serviço
Dizem que a justiça é cega e surda

Arthur Claro

Essa poesia foi criada por vontade de me expressar sobre a lei, nada demais e nada haver com a música que está antes da poesia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário