27 de fevereiro de 2015

ALGUMAS NOITES


Era exatamente sexta-feira, uma noite fria porém aconchegante, os amantes estavam felizes, pois poderiam dormir abraçados, os solteiros porém ficavam um pouco desanimados. Helenna estava sentada na sua cama lendo um livro, enquanto Lúcio dormia pesadamente, pois ele iria ter que trabalhar em pleno sábado, ela estava lendo um livro que a deixava animada sexualmente falando, ela tinha comprado o livro, pois uma amiga tinha dito que era bom e ela resolveu ver com os próprios olhos e ela estava comprovando o que a amiga tinha dito. Enquanto isso no outro lado da cidade Lucrécio estava relembrando o corpo jovem que ele teve que fazer a autópsia há pouco tempo atrás, o corpo era de uma jovem que tinha morrido de overdose de cocaína, ela aparentava ter entre 18 e 21 anos, uma pele branca, olhos verdes, cabelos compridos morenos, altura mediana, peso equivalente a altura, seios medianos, não possuía pelos pubianos e tinha uma tatuagem de um galho com algumas flores nas costas, Lucrécio nunca tinha ficado tão abatido quanto dessa vez de ver uma bela garota que morrerá muito jovem, ele nada poderia fazer para fazer ela reviver, pois a especialidade médica dele era só encontrar a causa da morte. Enquanto isso numa casa do bairro Maricondes, Fabiano e Junior estão abraçadinhos embaixo da coberta assistindo um belo filme de comédia romântica que fazia pouco tempo que tinha saído das telas do cinema, eles riam e se apaixonavam pelas cenas que aconteciam no filme. Essa sexta-feira parecia tranquila se não fosse a queda de energia repentina na cidade inteira.

Aproveitando a queda de energia, vou encerrar a história e esperando por você leitor me dar uma resposta se devo continuar o conto, mas para continuar preciso que você comente e deixe um nome de personagem que você quer que apareça na sequência.

26 de fevereiro de 2015

NO BOST


Noite fria na pequena cidade de interior
O namorado para a namorada declara todo seu amor
Beijos e mais beijos esquentam os amantes
Oh leitores não consigo escrever sobre paixão
Só sei que o Amor é o mérito da compreensão
Tenho várias ideias em todos os instantes

Não sei se devo escrever sobre a morte
O canivete no meu pulso faz um corte
Brisa beije minha cabeça oca nesse momento
Oh leitores não consigo escrever sobre nada
Só sei que estou precisando de uma amada
Tenho certeza que isso não é um lamento

Nunca diga Adeus para seu amigo
Olhar com ira não aniquilará o seu inimigo
Belas frases de um simples escritor que sou
Oh leitores não consigo parar de escrever
Só sei que vocês têm que continuar a ler
Tenho saudades de quem nunca viajou

Num momento de ócio reflita porque escrevi assim
OK! Vou revelar que estava louco sim
Bom acaba aqui essa poesia
Oh leitores não consigo mais rimar
Só sei que vocês vão adorar
Tenha cuidado para não se resfriarem na ventania

Arthur Claro

Essa poesia foi criada a partir da palavra "No Bost" que surgiu do nada na minha cabeça e eu quis usar ela, porém ela não tem significado aparente, mas deixo livre para quem ler fazer o seu próprio significado. Observação especial: A imagem é meramente ilustrativa que achei quando pesquisei no Google.

24 de fevereiro de 2015

UMA CONVERSA DE LOUCO...


Essa conversa só podia ser de criação de Chespirito que tinha ideias interessantes de humor simples que conquistou crianças e adultos, mas o que importa é que precisamos rir mais do que ficar sem rir. Abram um sorriso a cada amanhecer e quando for dormir. Segue um link aonde está todos os posts que fiz sobre humor, vejam clicando em HUMOR e espero que vocês gostem.



23 de fevereiro de 2015

OLHOKO (AONDE TEM HUMOR OU NÃO)


SE VOCÊ GOSTA DE IMAGENS
ENGRAÇADAS, VISITE ESSA
FANPAGE E SE GOSTAR
CURTA ELA E DIVULGUE
PARA OS SEUS AMIGOS
E SE NÃO GOSTAR
DO CONTEÚDO, PROPONHA
ALGO MAIS INTERESSANTE
OU PROCURE ALGO MELHOR

ESSE POST FOI SOMENTE
UMA POSTAGEM PARA DIVULGAR
A FANPAGE QUE CRIEI
PARA COMPARTILHAR O QUE
ACHO ENGRAÇADO

ME DESCULPEM PELA
FALTA DE CRIATIVIDADE

AQUI ESTÁ O LINK -> OLHOKO


20 de fevereiro de 2015

KURT DONALD COBAIN

Hoje ele completaria 48 anos de idade, porém algo levou ele a tirar a vida aos 27 anos de idade (eu sou um dos poucos que acreditam nessa história que ele se matou), ele tinha uma banda de rock e era conhecido no mundo inteiro, ele fez shows memoráveis aqui no Brasil, infelizmente quando ele veio para cá, eu não tinha idade para estar presente nos shows, porém já vi vários relatos sobre as loucuras que ele aprontou, se ele fez tudo isso e mais um pouco, foi porque deu vontade de ser feliz. Mas hoje quero somente guardar os bons sons que ele gravou em discos e na memória de bastante pessoas. Quero sugerir que vocês escutem essa música que selecionei para homenagear o Kurt Donald Cobain, essa é uma de algumas que gosto.




19 de fevereiro de 2015

A ESSÊNCIA DA ESTRANHA MORTE


Quem já ouviu a incompreensão bater a sua porta
Punhal sacie a vontade de sangue com um pueril corte
O coração parou repentinamente após dezenove anos vividos
Pequenos sonhos iriam se transformar em grandes realizações
Ela deixou escapar essas palavras uns anos atrás

Me deito sem vontade nesse pulcro leito
Olhos meus são cerrados por um motivo que não sei
Restos do meu corpo os vermes se alimentaram
Tristeza e melancolia vão fazer que as pessoas sintam
Exilada num mundo que não queria estar nesse momento

Oh virgem da tez pálida deitada nesse gélido jardim
Bela paisagem de cruzes e estátuas de anjos
Flores chegam a todo o momento pra ela
Ela descansa eternamente sem vontade
Saudades suas amigas e amigos vão sentir

Arthur Claro

Essa poesia foi criada para retratar um suicídio de uma garota imaginária que criei somente para a poesia, essa poesia não tem nada haver com uma realidade que presenciei. 

12 de fevereiro de 2015

BLOG FECHADO TEMPORARIAMENTE POR MOTIVOS DE DENGUE

Pessoas que visitam meu blog com certa frequência repararam que eu não postei nada na terça e na quarta. Vou explicar o motivo, peguei dengue e então estou sem forças para mexer no computador, somente hoje consegui ter um pouco de força para mexer no celular. Quero deixar um aviso que só voltarei a postar assim que eu estar melhor e espero que isso seja o mais breve possível. Obrigado desde já a força, façam de tudo para não pegarem dengue, caso suspeite de ter pegado procure médico.


9 de fevereiro de 2015

BRASIL PANDEIRO - NOVOS BAIANOS

Mais uma música que vai antecedendo o Carnaval, agora trago um grupo chamado Novos Baianos que possuem um acervo de músicas boas que vale a pena ser escutado por quem gosta de música.


Observação Especial: Quem não gosta de Samba ou de Carnaval, não percam o seu tempo em comentar falando mal, pois eu também não vou me sentir obrigado a aceitar uma crítica ruim da nossa cultura.

6 de fevereiro de 2015

ENFIM CASADOS

Aqui vai a continuação do conto A NOIVA VESTE LUTO  e do trecho LÚCIO (O BON VIVANT) e do trecho HELENNA (A IMPACIÊNCIA SEM LIMITES) e do trecho FESTA A FANTASIA (Quem não leu, leia antes de começar a ler esse)

- Alô! Quem é que está falando? diz Valentina indignada.
- Alô, aqui quem fala é o Cássio, você está perto da Helenna?
- Não, sai de perto para não preocupá-la.
- Que bom, eu ia pedir mesmo que você se afastasse dela, é que tenho uma má notícia pra dizer, mas gostaria de falar antes para alguém, posso contar com você?
- Sim, mas que má notícia é essa?
- Bem... Hum... É... Então... (Cássio gaguejava)
- Fala logo.
Cássio respira fundo e diz:
- Lúcio morreu.
- Como? Esse traste deve tá brincando. Para de inventar.
- Não é mentira, Lúcio bebeu diversas bebidas ontem, então estava tão embriagado que seu corpo não aguentou e parou de fucionar.
- Nossa, ele arruinou o próprio casamento, bem antes de subir ao altar.
- Tem como você sair daí sem levantar suspeitas e vir até o Boteco do Maneco?
- Tem sim. Chego em instantes.
Valentina desliga o celular e guarda o celular com calma no mesmo local que estava antes, ela então diz para Helenna não se preocupar que ela iria comprar um lanche para elas. Enquanto isso, Cássio não parava de lamentar a perda do amigo, Maneco o dono do buteco não sabia o que fazer, se ligava para a polícia ou ficava quieto, o corpo de Lúcio estava estirado no balcão. Helenna levantou para ir ao banheiro, nisso que chegou no banheiro relembrou desse mesmo dia as 6 anos atrás, onde foi surpreendida com Lúcio, ela até sorriu sozinha. Valentina chegou no buteco e logo que entrou viu sobre o balcão um corpo sem vida, Cássio diz:
- Oi! Eu que liguei.
- Oi! Agora acredito e também não acredito. Respondeu Valentina engolindo a seco o que seus olhos viam.
Agora o que poderá ser feito? Nenhum deles sabiam o que fazer, Valentina não para no lugar, Cássio coça a cabeça querendo arrancar os cabelos e Maneco fica tirando e colocando o telefone do gancho, nisso se passa meia hora, Valentina resolve contar para Helenna e sai em disparada para o salão. Maneco e Cássio ficam no boteco velando o corpo, eles ficam conversando com Lúcio. Valentina conta o ocorrido para Helenna que escuta calmamente, depois de meia hora diz para Valentina ligar para Cássio e pedir pra ele vestir Lúcio que ela vai casar com o morto, Valentina mesmo não entendendo a loucura da amiga, obedece e liga.
Esta tudo pronto, Lúcio no altar porém sustentado por Cássio e Maneco, começa a marcha nupcial e Helenna entra calmamente pelo corredor central, vestindo um belo vestido negro, em mãos um buquê de lírios brancos. Foi uma bela celebração apesar do noivo estar morto.

A história acabou, mas você pode comentar e dizer o que achou desse longo conto que criei tudo de improviso menos o nome que eu já tinha em mente. Quem sabe aconteça outros contos ou até mesmo continuação desse, preciso de vocês para dizerem.

5 de fevereiro de 2015

SARAH



Olha a hippie pedindo Paz e Amor
Seus anseios são com nenhum temor
Verdes olhos iguais à mãe-natureza
Tem nojo da guerra sem razão
Vive procurando uma verdadeira paixão
Cabelos negros realçam a sua beleza

Oh luar ilumine essa doce garota
Não quero a ver chorar nenhuma gota
Sorriso maravilhoso de se encantar
Tez branca como a linda neve
Vento sopra seus cabelos super leve
Essa poesia para você vou declamar
Arthur Claro

Essa poesia foi criada no tempo que eu fazia cursinho pré-vestibular, eu fiz a poesia e logo em seguida fiz um desenho da personagem, o nome dela veio do nada na cabeça, o desenho foi um dos melhores que eu fiz de uma mulher, assim que der mostrarei pra vocês, essa poesia não foi criada para nenhuma mulher específica, foi só um momento de inspiração de quando eu estava com pensamentos hippie.

3 de fevereiro de 2015

FESTA A FANTASIA

Aqui vai a continuação do conto A NOIVA VESTE LUTO  e do trecho LÚCIO (O BON VIVANT) e do trecho HELENNA (A IMPACIÊNCIA SEM LIMITES) (Quem não leu, leia antes de começar a ler esse)


Vamos voltar um pouco no tempo, mais precisamente no dia 26 de outubro de 2008, nesse dia aconteceu uma festa à fantasia numa universidade, cheia de bebidas álcoolicas, drogas, sexo e músicas tocadas pela banda Chico e O.B Band, Helenna estava vestida de noiva zumbi, ela estava na porta do banheiro masculino esperando seu namorado Cássio, os dois estavam namorando fazia 11 meses. Enquanto isso dentro do banheiro, Lúcio estava bem acompanhado de uma "enfermeira", ele estava vestido de Agente Secreto, ele agarrava com voracidade os peitos da "enfermeira" enquanto a beijava loucamente a boca dela. Helenna estava quase entrando no banheiro para retirar o namorado de lá, Cássio finalmente consegue um mictório, Lúcio por sua vez retira a camisinha e joga na privada. Lúcio, Cássio e a "enfermeira" estão satisfeito a sua maneira, a "enfermeira" sai primeiro do banheiro com as pernas bambas e um sorriso estampado na cara, logo depois sai Cássio todo feliz, pois ele estava explodindo de vontade de mijar, Helenna vendo essa sequência deduziu que havia uma traição, ela então começa a brigar com o "banana" do Cássio, sim ele estava fantasiado de banana. Lúcio sai do banheiro tranquilo sem levantar suspeita, ele vai até o bar e pede um copo de vodca com energético. Falta exatos 7 minutos para 2 horas da madrugada, Helenna quer ir embora, pois não tem como, pois tinha terminado o namoro e dado um chuto em cheio no saco de Cássio, ela andava de um lado para o outro do salão quando menos esperava, tropeçou nos fios de energia, para sua sorte Lúcio estava por perto e segurou-a para não cair, ela agradeceu e mesmo sem o conhecer, pediu pra ele uma carona para ir embora, ele concorda, pois também estava já cansado de beber e beijar todas as mulheres da festa. Ao chegarem na porta da casa de Helenna, Lúcio num impulso dá um beijo sendo retribuído com outro e as mãos safadas de Helenna, eles ficam nessa safadeza até que os dois ficam satisfeitos, nisso Lúcio diz sem pestanejar "Você quer casar comigo?" e ela assustada porém feliz responde "Sim, daqui há 6 anos estaremos casados", os dois felizes por ter firmarem esse compromisso, agora é só esperarem essa data chegar.

A história não acabou, para mim continuar preciso do comentários de vocês dizendo o que acharam desse trecho do conto.

2 de fevereiro de 2015

PIANO NA MANGUEIRA - CHICO BUARQUE

O Carnaval está chegando e as Escolas de Samba vão desfilar suas cores na Avenida com os Sambas Enredos. Mas hoje resolvi só prestar uma pequena homenagem ao Chico Buarque que fez uma música junto com Tom Jobim para a Escola de Samba de coração dele que por consequência é a minha também, a Primeira Estação de Mangueira (já sei que vai rolar piadas, porém não ligo, só quero ver alguém ser mais original) em breve faço um post com Samba Enredo desse ano, só quero sugerir que escutem essa música interpretada por Chico Buarque e Jamelão. Obrigado pela atenção.


Observação Especial: Quem não gosta de Samba ou de Carnaval, não percam o seu tempo em comentar falando mal, pois eu também não vou me sentir obrigado a aceitar uma crítica ruim da nossa cultura.