2 de abril de 2015

RUBRA ROSA


Uma roupa puída com alguns buracos e muito fétida
Cabelos embaraçados e um rosto imundo com uma ferida
A cicatriz que um canivete fez numa briga de rua
Olhar triste no semblante de um senhor que já foi feliz
Sua nova namoradinha ganhava a vida sendo meretriz
Toda noite ele pedia para ela ficar totalmente nua

Barba comprida esconde um pouco o triste semblante
Sua namoradinha o deixava todo lancinante
Numa noite de sarros um policial separou o casal
O velho mendigo foi para a cadeia e a namoradinha foi raptada
Na cadeia o mendigo chorava e a namoradinha era estuprada
Esse mendigo era tratado todos os dias como um animal

O tempo passou e o casal estava novamente junto
Mas a namoradinha agora chora pelo pobre defunto
Velho mendigo quando foi libertado não aguentou e morreu
A namoradinha jurou vingança contra esses covardes
Seduziu um policial e roubou a casa dele sem alardes

No dia seguinte a sua honra no jornal apareceu

Arthur Claro

Essa poesia foi criada sobre uma realidade com pitada de ficção e/ou uma ficção com pitada de realidade, não sei, mas quis mostrar uma história de amor de dois seres humanos que formam um casal aonde o amor prevalece.O nome da poesia é um dos símbolos do amor na minha opinião.

6 comentários:

  1. Parabéns pela poesia, na linhas transcritas, mostram a realidade de muitos que vivem na rua.
    Bjs e bom feriado

    ResponderExcluir
  2. Gosto muito desses romances policiais. A poesia ficou bem sombria.
    Bom feriado!

    jj-jovemjornalista.com

    ResponderExcluir
  3. Linda e triste poesia...
    Que infelizmente tem muito de realidade.
    E eu concordo que a rubra rosa é sem dúvida alguma um dos símbolos mais lindo do amor...
    Beijos e beijos

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

  4. Olá,,Arthur
    nas ruas temos os marginalizados de toda espécie... mas , errada ou não , prevaleceu o amor ...Agradeço pela visita,abraços!

    ResponderExcluir
  5. Olá, Arthur. Estava vasculhando aqui suas postagens mais recentes. Adorei essa "prosa-poética". Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Oi Arthur,
    Grata pela visita :)
    Muito boa e atual sua
    'poesia com pitada de ficção e/ou uma ficção
    com pitada de realidade'!
    Qualquer semelhança,
    não é mera coincidência...
    O que foi descrito em 'Rubra Rosa',
    acontece aos montes.
    Abraços \o/

    ResponderExcluir