16 de abril de 2015

BELA NO LEITO ADORMECE



Da janela vejo você deitada no confortável leito
Seus olhos cerrados num sono perfeito
Sonhos maravilhosos da minha formosa
A boca delicada que tenho anseio de oscular
Seus trajes são lindos de se admirar
Corpo inerte numa camisola azul e uma calcinha rosa

Após uns minutos te vejo despertar contente
Percebi que você estava adoentada de temperatura quente
Agora você pode voltar a ver seus amigos queridos
Ficou vários dias inerte só saindo para o banheiro
Seu confortável travesseiro era o seu único companheiro
Vi que vários e vários livros por você foram lidos

Sua tez pálida me deixou inerte de raros pensamentos
A sua beleza me fez aflorar vários sentimentos
Um deles foi o da paixão que me deixou louco
Muita caridade de longa distância que eu tinha
Os dias passaram e até agora o nome da menininha
O tempo que tinha pra te conhecer era pouco

Agora só posso ficar imaginando um belo nome
Fico dias e dias de greve de fome
Seu corpo inerte não consigo se esquece
Cabelos rubros e olhos verdes na face linda
A saudade no coração dói muito ainda
Bela no leito adormece

Arthur Claro

Essa poesia foi criada para demonstrar um amor platônico de um possível poeta com a sua vizinha, atenção não ocorreu comigo, só imaginei como seria.

3 comentários:

  1. Mais um linda poesia, com belos versos e rimas Arthur!
    Tenhas uma boa tarde!
    Bjus

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Que linda!

    Muito legal essa imaginação (a parte que explica fez toda a diferença, li de uma maneira diferente)....bela demais.
    Arrasou, como sempre :D bjs AC

    ResponderExcluir
  3. Muito bom a imaginação nos leva a ter idéias magnificas para serem transcritas no papel. bjs, bom final de semana

    ResponderExcluir