8 de janeiro de 2015

LOUCURAS SEM DESTINO


Oh noite taciturna da brilhante lua
Passos solitários na deserta pequena rua 
Sorvendo essa bebida amarga pura 
Taverna cheia de novos estrangeiros bêbados 
Violão desafinado faz festa dos animados 
A morte não tem cura 

Volto caminhar de pés desnudos 
Escrevo no muro versos mudos 
Oh luar onde estás amor? 
Moça da tez branca da morte 
Coração meu não é muito forte 
Azevedo, Byron admiram noite sem temor 

Do seu amor quero ser o proprietário 
Vários espermatozóides viajam até o seu ovário 
Não foi estupro da meretriz 
Oh Shakespeare por que mataste Julieta? 
Amputei minha perna ficando perneta 
Garotinha sonhava em ser atriz 

Tenho vontade de beijar uma bela alemã 
Um grande fogo na ‘menininha’ da irmã 
Garotas querem meu raro dinheiro 
Cálice de crânio sorvo esse doce vinho 
Oh qual será a brincadeira desse menininho? 
Há injustiça nesse sujo banheiro 

O Machado de Assis escreveu um livro de morto autor 
Solidão, lágrimas, saudades, tristezas, choro, quem será o grande inventor? 
Um cachorro vira-lata abandonado 
Eu vejo no caixão Aqui Jaz 
John Lennon procurava  espalhar a Paz 
Flores e carinho do sujeito que vive apaixonado 

Hey que país é esse Renato Russo? Quem pode responder? 
Raulzito me explica por que Al Capone deve se esconder?
Convidei Cazuza para uma festa pobre e animada 
Sorriso da musa agrada o aedo 
Da chuva eu perdi meu medo 
Refrão de uma música que nunca foi cantada 

Estou na taverna sorvendo o álcool até o fim 
Quero saber por que Abel morreu por Caim
Chico Buarque vamos beber nesse cálice o vinho tinto
Desculpa meu amigo, eu sou sim um anacoreta 
Sangue da sangria de uma garotinha virgem e careta 
Numa prova de atletismo quero chegar em quinto 

Alguns dizem que sou um histrião e um grande amigo 
Para todos entrego meu coração como um abrigo 
Uma garota ninfomaníaca apela para o vibrador 
Adoro ver duas garotas num safismo 
Olha Hitler chegando com a sua tropa de nazismo 
Santos Dumont baila com Kurt Cobain no seu objeto voador

Arthur Claro

Essa poesia foi criada inspirada na música Lucy in the Sky with Diamonds dos The Beatles, que John Lennon escreveu inspirado em um desenho que seu filho Julian fez de uma amiguinha de escola, mas muitos críticos e algumas outras pessoas dizem que John Lennon fez inspirado na droga LSD, eu acredito na versão do desenho, porém essa minha poesia pode se dizer que é tipo uma viagem muito louca pelo uso da droga, não usei e não uso essa droga, coloquei alguns famosos que tenho uma certa admiração e alguns só para dar andamento a loucura.

3 comentários:

  1. Adorei!!
    Você escreve incrivelmente bem!!

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Wow, como não amar as criações de John Lennon? <3 Post lindo demais, amei!
    https://cronicasdagaveta.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  3. Muito legal a poesia!!! Amo essa música e acredito também na primeira versão que você sitou da criação dela...
    Mas o mais certo é quem sabe?!
    Mas não importa, já que música e a poesia são igualmente legais!
    Abçs poeta

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir