25 de setembro de 2014

NATÁLIA


Aqui nasce uma humilde poesia
Não sei sobre o que vou escrever
Escuto a voz que vem pela ventania
Desejos e pensamentos tenho que rever
Uma garotinha linda me apareceu
Seu nome perguntei tentando uma aproximação
Com o sorriso nos lábios Natália tu respondeu
Sem querer tivemos uma atração
Tu tens treze anos e me fez juras de amor
Carinhos prometi e farei de tudo para cumprir
Parece idiota que estarei escrevendo, pois tenho um temor
Mas para a cadeia não quero ir
Com o teu jeito tímido me deixou fascinado
Tua determinação és uma boa virtude
Farei-te feliz como tinha combinado
Mas antes de tudo pense na sua juventude
Será que isso tudo tu queres com sinceridade?
Natália tu és o meu melhor tormento
Será que essa és a tua felicidade?
Não paro de pensar em tu a todo o momento
Teu sorriso pueril e olhos brilhantes fazem parte dessa bela
Tua graciosa boca quero beijar noite e dia
Quero fazer para tu um jantar à luz de vela
Aqui jaz essa humilde poesia

Arthur Claro

Essa poesia foi criada em pura ação criativa, não é relato real, é fictício, o nome da poesia é um dos nomes femininos que eu gosto.

4 comentários:

  1. Caraca! adorei a poesia. Muito linda. chega dar para sentir. rs

    http://algoaamais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Adorei a poesia, queria eu ter esse dom de criar poesias rsrs

    Beijoss
    www.conversandocomalua.com

    ResponderExcluir
  3. Que poesia linda! Estou adorando o teu Blog, haha. :D
    Um abraço!

    http://filtrodepapelmanchado.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Arthur mais uma linda poesia sua como sempre! Amo as coisas que escreves com tanto sentimento e alma...
    Linda como sempre!...
    Bjus

    ResponderExcluir